Opinión

Sobre a crise e pós-crise do Covid-19: nas empresas

Parte 3 – Nas empresas

(Leia a parte 2 aqui)

No mundo das empresas, importa criar condições para evitar o mais possível os danos da crise, procurar dar continuidade ao normal desenvolvimento da atividade e, eventualmente, aproveitar oportunidades que possam surgir. E, aparentemente, tudo isso deverá ser feito de uma forma diferente ao que era comum.

Evitar os danos da crise implica criar condições para que as pessoas não sejam afetadas, introduzindo as regras que as autoridades de saúde aconselham ou obrigam, e procurando manter o negócio em funcionamento ou retomá-lo o mais rapidamente possível, desde que em segurança. Mas fazendo isso com sentido de equilíbrio e grande respeito por tudo e por todos.

Para dar continuidade ao normal desenvolvimento da atividade será importante focar a atenção no cumprimento da missão e do planeado para 2020, evitando assumir a postura de se ir fazendo o que se pode (que tenderá a não ser muito), antes assumindo a busca determinada de soluções que permitam superar as dificuldades e concretizar o mais possível o anteriormente planeado. Pesará aqui o sentido do cumprimento do dever, bem como de serviço: ser verdadeiramente útil aos clientes, aos colegas, aos fornecedores, à empresa e à comunidade. Evitando correr riscos desnecessários, mas procurando honestamente dar o seu melhor contributo (seu do indivíduo, seu da Equipa e seu da empresa).

Evitar os danos da crise implica criar condições para que as pessoas não sejam afetadas

E manter-se atento para novas oportunidades que sempre surgem, disponível para, com flexibilidade e humildade, encontrar soluções alternativas ou, se necessário,
inventá-las. Nunca deixar cair os braços, nunca ficar a lamentar o que gostávamos que tivesse acontecido e não aconteceu. Sempre procurando manter o pensamento positivo e a atitude construtiva, focados na realização de coisas bonitas e verdadeiramente úteis.

De uma forma realista, um número significativo de empresas vai soçobrar e muita gente vai ficar desempregada. É desejável encarar essas situações com lucidez e a serenidade possível, procurando alternativas, cientes de que sempre há soluções para tudo e de que “quem porfia sempre alcança”. Muitas vezes, das grandes dificuldades nascem grandes soluções.

De uma forma realista, um número significativo de empresas vai soçobrar e muita gente vai ficar desempregada. É desejável encarar essas situações com lucidez e a serenidade possível

Uma grande crise coletiva, como uma pandemia, uma guerra ou uma catástrofe natural pode e deve ser aproveitada para uma reflexão profunda que nos permita sair dela mais fortes, quer em termos individuais, quer em termos coletivos. Desde que as pessoas não se desorientem, não permitam que a ansiedade e o medo se instalem, podem, com serenidade, transformar uma situação difícil numa grande oportunidade de melhoria individual e coletiva.

(Leia a parte 2 aqui)

Luís Portela
Chairman da BIAL.
Você pode estar interessado
Comentários

Adicione seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gracias por tu participación
Comparte el manifiesto y contribuye a impulsar la innovación entre empresas, organizaciones y directivos.
Agora você está vendo o conteúdo de APD zona centro.
Se desejar, pode aceder ao conteúdo adaptado à sua área geográfica